Eu namorei meu melhor amigo

Quem é meu melhor amigo? Qual foi meu programa de TV favorito quando criança? Qual é o meu restaurante favorito? Qual é minha estação favorita? Eu acredito em alienígenas? Quem é meu ator favorito? Quem foi meu primeiro melhor amigo? Quão bem você me conhece para o namorado. Você acha que você e seu namorado sabem tudo um do outro? Eu já namorei meu melhor amigo hahahaha foi meu primeiro namoro, tinha 14 anos, era coisa boba! Maturidade 0 2 comentários curtir (2) 1 anônima 16/04/2016 10h38. Sim. Acho importante quando se tem amizade antes de tudo 0 comentários curtir (1) 0 ... Eu namorei meu melhor amigo 3 comentários curtir (2) 0 JuliiaDias. 15/03/2020 17h33. Se fosse gostoso, sim. 3 comentários curtir (2) 0 anônima 16/03/2020 11h52. preferia perder a virgindade com um amigo do que um desconhecido, então... talvez sim. ... Meu melhor amigo me trocou pela namorada. Eu nem sei como começar a escrever esse texto, nunca me imaginei escrevendo em uma página de desabafos. Mas cá estou eu, prestes a começar meu último ano na escola e por fim entrar em uma faculdade. Namorei meu melhor amigo de 5 anos , sera que me dei mal ? então , fomos melhores amigos durante 5 anos , ele namorou outras e eu namorei um carinha por 3 anos , ele sempre soube de tudo da minha vida em todos os sentidos , e eu sabia de tudo da dele , depois que terminamos nossos relacionamentos , fiquei mais ou menos 7/8 meses solteira , e ... Eu tenho 20 anos e nunca fiquei nem namorei. Conheci meu melhor amigo há 3 anos, e logo me encantei por ele pois ele é simplesmente um doce, apaixonante de verdade. Por um tempo eu pensei que éramos feitos um para o outro, porque ele também nunca tinha ficado com ninguém. pensei que seríamos o …

Segunda chance ok, agora terceira, quarta e quinta ...

2020.09.18 02:40 iamassuregi Segunda chance ok, agora terceira, quarta e quinta ...

Preciso tirar isso do peito kkkkk então isso é longo
Eu conheço uma garota desde a sétima série, hoje tenho 24 anos. Essa garota por muito tempo foi minha amiga, mas sempre meio com vergonha. Kkkk eu não tinha uma boa aparência na época (e em minha defesa todo adolescente é feio) e hoje, olhando para trás, sinto que ela tinha vergonha de mim.
Em 2017 ela me apresentou a um amigo dela. Muito estranho, o cara tinha uns 40 anos e era amigo de uma moça de 21... Um dia fui dormir na casa dela, na época levei o PlayStation e ficamos jogando. Uma das irmãs, que tinha 15 anos aparece, totalmente bêbada. E esse coroa trazendo essa menina. Eu fiquei indignada, pois ela estava muito bêbada mesmo, até vomitou e desmaiou. Eu fechei a cara quando vi isso tudo e só pensava em chamar uma ambulância ou a polícia. Lembro que ele falou algo como: "Ela estava na minha casa com a minha filha, tomou só um pouco" e eu retruquei: "Ela tem quinze anos. Não devia ter tomado nada".
Esse foi o meu primeiro erro. O cara pegou raiva de mim aí.
Enfim, noutro dia fui pra minha casa e segui a minha vida.
Na época da escola éramos um trio: eu, essa garota e outro amigo. Esse moleque não era amigo dela há um tempo.
Outra visita a casa dela e ela me pergunta dele. Eu falo a verdade, que disse que nunca mais queria falar com ela. Tinha morrido pra ele. Volto pra minha casa e quanto estou deitada já, vejo uma ligação. Era o coroa me ligando.
Ele gritou comigo, disse que se fosse para eu falar desse amigo que eu não pisasse mais o pé na casa dela. Queria saber o que ela tinha feito pra ele, e eu apenas respondia: pergunta pra ela!
No dia fiquei morrendo de medo. Depois chorei de raiva. Mandei uma mensagem pra ela, dizendo que precisávamos conversar. No outro dia ela me respondeu, dizendo que iria falar com ele. Depois veio com uma conversa que não podia escolher lado pois não tinha ouvido a ligação para dizer o que cada um disse.
Depois disso me afastei, me ocupei com trabalho. Respondia ela pouco. Meu erro também, devia ter bloqueado nessa época. Também comecei a me arrumar bastante, me cuidar mesmo e a ter encontros kkk (e sim, agora sou bonita)
Ela me chamava para ir na casa dela sempre e dizia: leva o videogame, não tem nada aqui para fazer. Ela mora noutro bairro, muito contramão pra ônibus, então eu andava meia hora com um PS4 mochila, chegava lá morrendo. Eu acabava dormindo lá pois sempre ficava tarde pra voltar. Um dia eu falei pra ela que tava muito zoado para ir, pois estava tendo assalto direto e eu não poderia dormir pois tinha compromisso. Ela disse: então deixa o vídeo game aqui. Depois você busca.
Aí sim eu descobri, ela só queria jogar.
Então fui me afastando, até que ela surgiu meses depois fazendo perguntas sobre esse maldito videogame. Eu não entendo muito, tinha comprado ele no fim de 2016 pois foi uma baita promoção e eu usaria para ver vídeos do YouTube e alguns jogos que eu tinha visto gameplay. Mas por causa do trabalho quem usava mais era a minha família, para assistir. Então eu realmente não sabia responder nada. Foi uma semana de questionamentos até ela me pedir a minha conta da PSN. O coroa tinha dado um videogame para ela. Meu sangue ferveu, e eu disse que não. Ela veio com uma conversinha do tipo: "você não confia em mim?" Eu apenas disse: "sei que você não vai pegar nenhuma informação minha, mas não empresto pra você. Meses sem falar comigo e quando volta quer favores?".
Ela sumiu por três dias e quando voltou disse que não poderíamos mais ser amigas. E começou a escrever um textão. Eu simplesmente dei block e deletei o número. Isso foi no fim de 2018.
Nessa época eu estava meio mal, mudei para um emprego de meio período e fui passando sem comprar muita coisa. Vendi o videogame e resolvi estudar para entrar numa universidade. A situação financeira aqui em casa apertou tanto que eu praticamente sustentei a casa por uns meses com um salário de meio período. Deixei muito currículo mas nem chamavam... Enfim.
No fim de fevereiro desse ano entrei no meu Facebook e tinha várias mensagens dela, das irmãs, pedido para eu mandar mensagem pra ela. Eu sou muito curiosa, então não aguentei. Passei o meu número para a irmã e disse que entrar em contato comigo. Ela falou comigo e pediu desculpas.
E eu aceitei, pois estava numa paz e estava tentando mudar, ver o melhor nas pessoas. Estava muito de boas mesmo.
Ela veio perguntar da minha vida, eu disse que estava estudando e trabalhava algumas horinhas por semana.
Aí ela me pediu uma dicas para estudar pra FUVEST/Enem e acabamos combinando que eu poderia ajudar ela a estudar.
Desde 2019 eu estava muito calma, não me irritava com ninguém e também toda semana tirava um momento pra refletir os pontos da minha personalidade que tinha que melhorar. Mas eu fiz um grande erro: ser gentil não é ser otária. E eu estava sendo uma otária.
Acabou que o corona apareceu e bagunçou a vida de todo mundo, mas continuamos nos falando. Ela comentava lugares que queria ir e eu dizia "ah, depois do corona a gente vai". Acabou que a primeira oportunidade foi esses dias, quando sp começou a permitir que cursos extracurriculares voltassem. Decidi que iria fazer um curso de japonês, pois estava meio deprimida e queria algo para ocupar a cabeça. Chamei ela para dar uma olhada comigo na unidade da escola.
Eu já tinha comentado com ela que estava ficando bem ocupada recentemente, então podia ser que eu esquecesse de ver as mensagens. Falei pra ela que sábado ficaria fazendo um trabalho. Então sábado de manhã fomos ao curso de japonês e quando voltamos ela se convidou para ir na minha casa. Eu, por causa de estar ocupada e cansada, não queria ninguém aqui, então só disse que outro dia a gente marcava.
Depois disso ela nunca mais de respondeu. Ela tinha parado de falar com o coroa quando voltou a falar comigo, mas deve ter voltado.
Essa novela é tão grande e ruim que vou acrescentar uns detalhes aqui:
O que eu aprendi de tudo isso? Não fique perto de quem faz mal pra você. Seja gentil, mas não seja besta.
submitted by iamassuregi to desabafos [link] [comments]


2020.09.06 20:36 lvdovic Percebi que não entendo a ideia de amor romântico e nem o sentido de se ter um relacionamento.

Hoje eu vi um vídeo no YouTube de um criador de conteúdo e sua agora ex namorada falando como terminaram seu relacionamento da melhor maneira possível, super de boa e sem treta. Vi eles falando sobre alguns aspectos de um relacionamento daora, sobre companheirismo, sobre planos, romance, etc. Assim, eu percebi que eu simplesmente não consigo entender nada disso.
Fiz 21 ainda esse ano. Nunca namorei. Só não sou virgem porque no meu grupo de amigos todo mundo se pega e graças a deus eu não fiquei de fora. Desde a adolescência eu tenho muito problema com minha autoestima baixíssima, timidez enorme, e minha vida pessoal tá bem ruinzinha também (acho que faz uns anos isso).
Acho nunca me apaixonei de verdade. Só cheguei a gostar de umas pessoas, mas nunca nem falei o que eu sentia pra elas. Nunca nem cheguei perto de um relacionamento. Lembro que quando eu tinha uns 15/16 anos tudo o que eu queria era um namoro (sair com a pessoa, passar tempo juntos, além da vida sexual e etc), mas quanto mais o tempo passa, menos eu compreendo essas coisas. Hoje em dia não entra na minha cabeça do porquê das pessoas namorarem, de como elas conseguem passar tanto tempo juntas, de como funcionam esses sentimentos de amor romântico e companheirismo.
Sei muito bem que atualmente a última coisa que eu quero é um relacionamento, já que tenho muitos problemas internos pra resolver e não quero projetar nada em ninguém, mas mesmo sabendo que um dia eu ainda posso consertar esses traços ruins, eu não consigo conceber uma realidade onde eu não vou estar sozinho. Eu sei que boa parte desse pensamento só existe por causa da minha autoestima afundada (eu sei que é objetivamente possível achar alguém que goste de mim, mas as vezes fica difícil de acreditar em mim mesmo e que eu mereço ter alguém do meu lado), mas, como eu disse antes, conforme o tempo passa eu assimilo cada vez menos o significado de se ter um um relacionamento, de conseguir amar de maneira romântica uma pessoa (porque vejam bem, eu, por exemplo, amo meus amigos, mas sei e imagino que amar alguém de maneira romântica é completamente diferente), de ter alguém ao seu lado todos os dias, de fazer planos juntos.
Espero que um dia eu consiga passar por cima desses pensamentos. Mesmo que tudo isso seja extremamente abstrato pra mim hoje, eu imagino que deve ser muito bom esse negócio de amor. Todo mundo diz que é incrível. Es mesmo tendo a parte ruim de sofrer caso não dê certo, eu queria muito viver e entender tudo isso um dia.
(criei uma conta nova só pra desabafar isso sem correr o risco de alguém que eu conheça reconhecer meu outro username e espero do fundo do meu coração que nenhum conhecido reconheça toda essa minha descrição aí ahduabduhshdbdud)
submitted by lvdovic to desabafos [link] [comments]


2020.09.06 14:17 DemonFranco É possível mesmo duas pessoas se relacionarem de forma PURAMENTE sincera?

Até os 18 anos (hoje tenho 22) eu fui extremamente introvertido, com pouquíssimo contato com a realidade do mundo. Desde moleque desenvolvi uma vontade muito forte de ter aquele clássico relacionamento vitalício (não perfeito, mas no mínimo sincero e recíproco) que se vê em filmes de romance ou animes tipo Naruto. Na verdade, lá no fundo, ainda tenho essa vontade. Mas essa vontade foi minha perdição, pois dediquei demais à pessoas que não estavam dispostas a fazer 5% do que eu estava.
A primeira decepção foi com, claro, meu primeiro amor: nunca amei tanto alguém como amei aquela garota. Fiz de tudo pra me aproximar dela, fui até em sua casa pedi-la em namoro, e o pior é que ela aceitou sem me desejar. Passamos 2 anos nos "relacionando" sem um abraço sequer e com conversas vazias, até chegar o dia em que ela decidiu ser sincera (hoje eu vejo que tudo era bem óbvio, mas minha introversão tinha me tornado muito inocente). Logo depois arrumei uma webnamorada, com quem namorei por foto e vídeo até conseguir um emprego aos 19 e conseguir visitá-la: perdi 4 dias de trabalho sem atestado, quase fui demitido e viajei SOZINHO pra São Paulo mesmo sendo que não saía pra jogar bola na rua. Finalmente, então, perdi meu bv e minha virgindade. Apesar de que voltei pra casa feliz e realizado com a nova etapa do relacionamento, a mesma terminou comigo uma semana depois, com desprezo e raiva em suas palavras e até hoje não entendo porquê. Vida que segue, comecei a me socializar mais, ir em festas, conhecer novas pessoas, e na própria empresa em que eu trabalhava conheci uma garota que me admirava por minha espontaneidade. Ela também era muito introvertida, vem de uma família evangélica extremamente violenta e ríspida, então eu senti que poderia "salvá-la" mostrando os prazeres do mundo fora da caixa do preconceito. Sempre deixei claro a ela que gosto de tudo o que o cristianismo lhe ensinou a fugir: bruxaria, cannabis, liberdade de expressão, etc. Logo, desde o início estávamos cientes de que nada seria fácil, mas eu estava disposto a enfrentar tudo aquilo e muito mais, inocentemente acreditando que isso a inspiraria a fazer coisas parecidas por mim. Engoli muitos absurdos retrógrados vindo de sua família e fingi com todas as minhas forças ser alguém que não sou (algo que desprezo e talvez não tenha feito muito bem), resistindo por "Só mais alguns anos, e vamos sair daqui". Bom, acontece que todos os meus estímulos liberais incentivaram ela a descobrir que é lésbica - e por mim tudo bem, de verdade. O problema foi que ela omitiu isso até o último dia, fingindo estar tudo bem e ainda alimentando nossos projetos futuros. No dia do término, eu fui em sua casa porque ela estava estressada, na intenção de melhorar o mínimo que fosse do seu dia. Ela me deixou ir embora pra terminar por mensagem do Facebook de sua mãe; insisti pra ela pelo menos falar o que tinha pra falar me olhando nos olhos, mas ela me tratou como se fosse um qualquer e realmente não queria nunca mais me ver.
Até então essa é minha história amorosa, mas eu também contei demais com amizades e todas (exceto uma) me decepcionaram. Comecei minha vida social com dois de meus primos (um deles é a mencionada exceção), mas o outro simplesmente se afastou de nós sem razão aparente - isso foi frustrante pra mim porque eu gosto muito dele e de seu irmão, mas nunca foi recíproco. Depois disso conheci o cara mais problemático que já passou na minha vida: 100% egomaníaco, repleto de defeitos gritantes que qualquer um com um pouco de amor próprio não investiria sua saúde mental para suportar. Mas eu, trouxa, fui diferente. Aguentei todos os seus absurdos, surtos sem sentido, falso senso de superioridade, ego frágil e invejoso, ciúmes até da minha ex (sim, hoje eu sei que ele gostava de mim mais que como amigo), enquanto via seus outros conhecidos pouco a pouco se afastarem dele. Ele foi o primeiro """""bruxo"""""" (entre muitas aspas porque a prole só sabia o que tinha pesquisado no Google e lido em revistas de banca) que conheci e, como eu valorizo muito conhecimento esotérico e não sabia de nada quando o conheci, confiei em todas as suas palavras e atitudes. E continuaria assim, se ele não tivesse tentado me agarrar enquanto fingia estar incorporando minha deusa-mãe. Na cabeça dele era um pretexto perfeito, já que essa mesma deusa está relacionada ao sexo e eu sou bi. Mas, sério, nunca vi alguém com tanto sex appeal negativo quanto esse cara. Simplesmente parei de conversar com ele, não dei satisfação alguma porque ele sabe muito bem o que aconteceu. Mas seu ego frágil não deixou isso barato: hoje eu passo na rua e todos os amigos que tínhamos em comum nem me cumprimentam mais, e de longe olham torto ou fingem que não me viram. Coincidência? Acho que não. Agora, em tempos de quarentena que está ainda mais difícil conhecer pessoas novas e criar qualquer tipo de relacionamento (como se já não fosse um desafio pra alguém que cresceu introvertido), me sinto sozinho e essa infelizmente é a melhor opção pro momento. Mas eu não quero deixar minha vontade morrer: quero de verdade dividir uma vida com alguém, compartilhar histórias que só nós vivemos, entender o que ela pensa só de olhar nos olhos. Isso é utópico demais? Será que ainda tô vivendo nos meus 17 anos?
submitted by DemonFranco to desabafos [link] [comments]


2020.09.06 13:59 demoncleaner720 Eu até aqui

Tenho 26 anos, por incrível que pareça nunca namorei e tenho problemas para me socializar com as pessoas (hoje em dia menos pior do que antes, porém com consequências ainda graves). Tenho problemas de confiança gerados por anos de parentes mentindo para mim, me cegando com falsas expectativas, me comparando 99% das vezes com a grama verde estelar do vizinho, bullying escolar que tive desde a infância até o fim da adolescência e as mentiras que alguns amigos me diziam constantemente para me evitar ou talvez simplesmente porque minha depressão era bad vibes demais a eles. Eu poderia até as vezes que fui abusado s. mas sinceramente, vem um borrão na minha mente toda vez que lembro disso, imagens distorcidas, é horrível. Digamos que um dos meus maiores problemas seja confiar nas pessoas, e isso acaba gerando diversos problemas de relacionamento, pois imagino que elas mentem constantemente para mim, e pode vir até de fato a essas virem que mentir para ter que me aturar possa ser uma opção. Talvez até mesmo a raiz do problema comece pelo fato de que fui abandonado pelo meu pai biológico com 2 dias de idade, mas até ai, já estou acostumado com abandonos ever since... de amigos, familiares, etc.
Tenho um problema de acreditar que o tempo todo sou culpado de tudo o que acontece, talvez porque eu tenha sido condicionado a acreditar nisso pelas pessoas. Talvez aquela vez que um amigo disse que só fui abusado porque eu era mole e que a culpa era minha, ou quando um dos meus melhores amigos relativizou a homofobia do pai dele quando o mesmo me expulsou da casa dele quando abracei meu amigo, e depois, esse me diz que ele "não tem culpa por ser o que ele é", ou talvez a minha família me culpando de tudo o que acontecia e acontece, incentivando até bullying contra mim. Sim, uma prima minha já disse que apoiava esse tipo de atitude.
Tenho quase certeza que perdi um amigo que eu amava muito e que também me amava justamente por viver pedindo desculpas pra ele o tempo todo, e também por sempre estar mal quando falava com ele, isso é, nos raros momentos em que estava bem. Sinto saudades dele, e isso está me matando por dentro, cada dia mais, sempre quando me sinto conectado a alguém, acontece algo. Não sei se tenho um tipo de maldição que me faz ficar vidrado demais nas pessoas. Tenho autismo, logo hyper-foco é um problema, se é que me entendem. Isso já acabou por me fazer a perder muitas amizades por problemas pífios.
Olha, se você aguentou pela milionésima vez ler esse texto até o final, agradeço muito, mas sinceramente as coisas estão bem difíceis pra mim, e aceitar e entender são coisas difíceis. Queria poder desabafar e conversar sobre isso e algumas coisas, tenho me sentindo sozinho.
submitted by demoncleaner720 to desabafos [link] [comments]


2020.08.31 06:41 Phoebird Se eu me assumisse, eu ficaria totalmente sozinho

Durante muito tempo, eu tentei ignorar. Ainda tento, mas quando mais penso a respeito, mais me sinto vivendo uma mentira. Dói todas as vezes que vejo menções sobre qualquer coisa relacionada a gênero ou sexualidade. O pior de tudo é que não vejo solução, sabe? Mesmo que me assumisse, eu ficaria sem amparo algum, o que seria pior ainda, pois a solidão dói muito mais.
Não sei o que aconteceu, ansiedade social, timidez, bullying, meus comportamentos antissociais... Uma coisa foi levando a outra, não tive muitas experiências com pessoas e acabei assim, sem amigos. Minha única companhia é minha família. É ridículo dizer isso, mas minha mãe é minha melhor amiga. Porém, eles são ultraconservadores ou talvez sejam só o retrato da maioria da população e eu que sou muito progressista. Todas as vezes que aparece um casal homossexual ou alguém transgênero na TV, ouço comentários preconceituosos. Uma prima distante que tenho foi completamente excluída de qualquer evento familiar depois de se assumir lésbica. Dizem que não é preconceito, é só pra evitar o "desconforto" para ambas as partes. Como eu nunca namorei ou demonstrei qualquer interesse por um relacionamento amoroso, há a suspeita que eu seja gay. Já tentei tocar assunto com minha mãe algumas vezes, não de forma direta, mesmo assim, a resposta é sempre me ignorar e mudar de assunto, como o que seu eu estivesse falando sobre um tópico absurdo.
Se minha família me expulsasse de casa ou eu tivesse que me mudar por causa do "desconforto", eu até teria condições de morar sozinho. A muito custo, consegui superar parte dos meus medos e, graças a sorte e os privilégios, encontrei um emprego no ano passado. O problema seria a solidão mesmo. Eu não tenho ninguém com quem possa contar, sem contar as mudanças na minha aparência e vestimenta, que não teriam como passar desapercebidas pelo pessoal do trabalho. Seria um inferno pior do que viver em um corpo que não parece meu.
O meu maior sonho é ganhar na loteria, usar esse dinheiro na transição e comprar o suporte que preciso. Na verdade só um amigo próximo não preconceituoso já estava ótimo.
Só quero desabafar. É muito difícil admitir isso. Como dá para perceber pelo texto, eu não posso contar essas coisas para ninguém que conheço.
submitted by Phoebird to desabafos [link] [comments]


2020.08.30 03:54 Teshugou "Preso" ao relacionamento?

Bom, pra começar, tenho 19 anos e nunca fui de ter amigos, relações, nem nada (hoje percebo que eu era beeem estranho socialmente, talvez seja por isso xD). Estou mudando aos poucos, pensamentos, ideias, concepções, sinto que estou me tornando alguém melhor.
Mas o que eu quero falar mesmo é: tem essa menina, fui me aproximando dela e criando sentimentos por ela, até que, cerca de 3 anos atrás, eu já sentia que rolava algo legal entre a gente e fiz um pedido de namoro com flores, surpresas e blablabla, só que ela sempre acabava evitando o assunto e nunca me deu uma resposta, e aí só voltou com o ex dela. Enfim, tristeza, chorei, não superei, afinal, foi uma das primeiras pessoas que eu pude compartilhar felicidades, ansiedades, angústias, sabe? Amizade, eu acho. Tempo passando, a gente se falava beeeeem raramente.
Agora, no início desse ano, a gente foi voltando a se falar e ficando bem próximos (de novo : ). Ela reconhece essas irresponsabilidades dela nesse passado, já pediu desculpas. Meus sentimentos por ela não passaram não xD. Só que dessa vez estou sendo bem transparente quanto ao que sinto por ela, demonstro meu carinho e afeto (já tive problemas por não demonstrar o que sinto, não quero repetir com ninguém). Do mesmo jeito que antes, ela nunca diz como ela se sente em relação a nós dois, também não parece demonstrar sentimentos por mim. A gente já saiu algumas vezes desde então, 3 ou 4 vezes desde o início do ano (quarentena boyz), e ficamos abraçados e de mãos dadas, mas não tocamos no assunto.
Mesmo assim, a gente ainda não namora e, na minha cabeça, isso não vai nem acontecer, sinto que só eu estou me abrindo e tudo vai ser um replay da última vez. Ficamos fazendo companhia um ao outro pelo discord todo dia, mas acho que ela não gosta tanto assim quanto eu. Eu infelizmente só falo com ela, não tenho mais ninguém com quem compartilhar coisas. São sentimentos muito novos pra mim, nunca namorei, nunca beijei, nunca fiz nada :S. Não sei muito bem o que fazer. Por conta disso, me sinto "preso" ao meu relacionamento com ela e sei que no final só vou acabar me machucando novamente.
(tentei dar uma resumida pra não ficar tão grande, só que mesmo assim ficou enorme :c )
submitted by Teshugou to desabafos [link] [comments]


2020.08.28 01:20 barrueco_die Sensação de que ninguém gosta de mim, mas ngm me fala o motivo

As vezes, tenho a sensação de que fui cancelada pelas pessoas, parece que todo mundo é a pessoa preferida de alguém e eu não sou a melhor pessoa na vida de ngm. Nunca serei especial ou algo assim.
Tenho 23 anos, nunca namorei, toda vez que começo a falar com algum menino com o objetivo de ter um relacionamento, fico pensando que ele já está com mais uns 37 contatinhos e que sou só mais uma, até que de repente vejo que esse pensamento é uma realidade, que nunca fui importante o suficiente pra aquela pessoa.
Tenho uma prima que mora comigo, ela sempre fala que gosta de mim. Tenho vários amigos, mas posso contar nos dedos os que eu realmente acho que gostam de mim e, mesmo assim, de repente, percebo que a amiga era somente eu. Eu sinto que muitas pessoas me tratam com grosseria ou desdem. Por exemplo, eu fui falar pro meu professor que quando salvei o número dele, para fazer o grupo de supervisão da sala, apareceu a foto de uma menininha e perguntei se ele tinha enviado o número certo, ele me ignorou como se eu tivesse ofendido ele e eu fiquei (??????) será que não consigo me fazer entender?
Não sei o que faço de errado, imagino que sou uma boa amiga, sempre tento conversar, ver se as pessoas estão bem, tento unir as pessoas, sou bem democrática, tento combinar de fazer atividades juntos, TENTO ser útil, as vezes consigo e as vezes não, POREM COM CTZ, tenho algum defeito que é difícil para as pessoas lidarem, mas eu não sei qual é e ngm me fala qual é esse defeito, então não tenho como mudar.
As vezes, tenho a impressão que minha cara afasta as pessoas, já que muita gente diz que tenho cara de brava, metida ou antipática, mas as pessoas que me conhecem falam que, depois que me conheceram, perceberam que tiveram uma impressão errada sobre mim, mas enfim, é isso...
submitted by barrueco_die to u/barrueco_die [link] [comments]


2020.08.28 01:15 TELZERAxX Como saber se você já foi corno por mais que a pessoa negue que nunca te traiu ou te trai??

Sei la algum especialista no caso ??? Rsrs alguém estilo metaforando, ou que já passou por isso, alguém que já saiba quais os sinais que a pessoa dê, as atitudes delas... Já namorei 3 vezes, na primeira vez que terminei a mina me amava e tal, dizia que era pra sempre que iria me amar, e do nada depois de tempos disse que queria um tempo, que estava confusa da vida, e que era melhor a gente dar um tempo e ser apenas amigos (pra alguém que me amava tanto como namorado e depois me ver só como amigo é estranho) disse também que ela achava que tinha nascido pra viver sosinha, que ela não gostava de mais ninguém (tudo isso ela dizia pra gente terminar). Falou milhares e milhares de coisas de o quanto ela queria viver totalmente só... Aceitei numa boa, terminamos... Quando menos esperei ela apareceu nas redes sociais com o seu tal "tempo" kkkk eu ficava tipo "ué vivia dizendo que queria viver sosinha?" E praticamente Depois de tudo isso resolvi dar uma chance ao amor novamente depois de ter quebrado a cara.... A gente já se conhecia a anos já tinha ficado em alguns momentos e chagamos a uma conclusão de darmos uma chance ao amor... Ao namoro. Namoramos foi tudo belo, tudo maravilhoso, com mil promessas com várias juras de amor milhares de eu te amo ... Éramos um grude só... (Sem contar que no meio desse namoro sempre aparecia de costume assim como todo namoro aquele infeliz que ainda não superou ela e ficava direto chamando ela no PV) O tal amigo rsrs "hj ele é só um amigo amor" Enfim a história foi por incrível que pareça a mesma... Chegou pra mim e praticamente disse quase as mesmas coisas que no meu primeiro namoro disseram. Eu fiquei em choque pq provavelmente eu ia sentir na pele pela segunda vez, só que dessa vez eu já saberia o fim disso (seria trocado por outro). E dessa vez eu fui questionando tudo, perguntando se ela iria me trocar.. sim, eu fui direto kk pq eu já entrei em desespero... A primeira vez eu não sabia o fim, agora imagine na segunda vez já sabendo o provável fim?? Pois é. E o pior que ela sempre nega não ter ninguém na vida dela, nega que nunca iria me trocar... Hj em dia a gente já nem se fala tanto, mas ela vive postando indireta pra um certo alguém, posta prints de conversa de um certo alguém dando em cima dela, posta várias coisas sobre amor, e quando resolvo sempre questionar ela sempre nega até a morte... Alguém pode me explicar se devo confiar nela ou na minha intuição pela experiência do primeiro namoro ??? Eu quero por um fim nisso d saber a verdade se fui ou não trocado...
submitted by TELZERAxX to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 15:02 LeastFudge9 Se querem uma dica, procurem saber o que buscam em relacionamentos antes de sofrerem por não estarem em um (ou de efetivamente entrarem em um)

Vejo muitos posts de "nunca namorei" por aqui, entendo cada um de vocês e digo que me vejo um pouco nesses posts também. Talvez meu post ajude. Isso aqui vai ser longo.
Sou homem, hétero e tenho quase 25 anos. Até os 22, nunca tinha namorado, nem transado, e entre essa idade e meu primeiro beijo (aos 11 anos de idade), eu havia beijado quatro garotas, uma delas talvez eu não devesse contar, pois foi uma amiga de minha mãe bem mais velha que praticamente me forçou a fazer isso quando eu tinha 14 anos. Mas ok, contemos quatro garotas dos 11 aos 22 anos. Isso me deixava triste nos mesmos moldes que vejo aqui em muitos posts.
No dia do meu aniversário de 22 anos, uma conhecida 16 anos mais velha avançou nas investidas por WhatsApp e me enviou nudes. A partir de então, foi tudo muito rápido, tive minha primeira vez com ela e foi fantástico. Ela estava em um processo de divórcio iniciado havia menos de um mês e tinha um filho de oito anos. Daí começa meu inferno.
Ela era uma mulher muito inteligente, bonita e, para me convencer a iniciar um namoro, praticou o famoso "love bomb", eu me sentia o cara mais foda do mundo, ela inflava minha autoestima de uma forma que ninguém jamais havia feito. Iniciamos um relacionamento sério e entrei no fogo cruzado de uma guerra que envolvia minha então namorada, o filho único dela de oito anos de idade e um ex marido extremamente agressivo e descontrolado.
Cheguei a receber ameaça por WhatsApp do tal ex, o filho dela levava recadinhos velados do pai pra mim, me ligava quando estava com os coleguinhas e me xingava das piores coisas e dos piores nomes possíveis (palavras que uma criança da idade dele não devia saber). Tudo isso enquanto frequentemente o garoto chegava da casa do pai quebrando a casa e gritando, eu acho que isso de esperar o inferno toda vez que ele ia pra casa do pai provavelmente foi o que me fez desenvolver um grau de ansiedade. E como já deve ter sido possível perceber, rapidamente eu ficava mais na casa da minha então namorada que na minha própria casa, por livre espontânea pressão.
Como se não bastasse, minha então namorada era extremamente controladora. Com o tempo, eu não podia mais conversar com outras mulheres, ela gritava comigo e quebrava a casa quando estava - nas palavras dela - "surtada". Pra ajudar a ilustrar, lembro-me que uma vez bocejei enquanto estávamos em um restaurante (EU organizei a ida, foi meu presente de dia dos namorados) e ela começou a brigar, perguntando se eu não queria estar ali (e então passei a ter receio de bocejar perto dela - e eu bocejava bastante, porque trabalhava e fazia faculdade).
Houve também uma situação em que recebi uma proposta profissional que significaria passar quatro meses em outro país. Ela surtou, passei uma noite em claro com ela gritando, quebrando a casa, tentando me expulsar de lá (como eu iria embora com a mulher naquela situação?). Enfim, foi um inferno, nem gosto de lembrar. Acabou que eu neguei a proposta profissional, ao mesmo tempo em que ela saiu falando para meus amigos (que viraram amigos dela também) sobre como ela, apesar de triste com a distância, achava uma oportunidade e um projeto muito importantes. E também encontrou meios de me manipular ao ponto de eu ficar na dúvida sobre por que eu tinha negado a proposta. Recentemente, depois de mais de um ano de terminados, ela disse pra uma prima minha sobre essa história e confessou que "fez de tudo que foi possível" para que eu não fosse. Me senti um idiota.
O cúmulo, na verdade, foi quando minha família alugou um sítio para comemorar o aniversário da minha irmã mais nova, a festa consistia em as pessoas mais chegadas ficarem um fim de semana inteiro neste sítio. Nessa época, minha ex já tinha desenvolvido uma posse sobre mim que incluía ter uma espécie de ciúme do tempo que eu dedicava à minha família (que já era quase zero). Justamente por isso, percebi que minha ex estava resistente a ir para este sítio, optei por fingir que não tinha percebido. No dia de ir pro sítio, como eu já suspeitava, ela estava em surto e passou a manhã inteira deitada. O filho dela estava ansioso pra ir, pois tinha piscina e outras crianças, então resolvi que iríamos eu e ele, disse isso pra minha ex e falei pra ela me ligar assim que quisesse ir, que eu a buscaria. O sítio ficava a uma hora de carro.
Vou resumir o que aconteceu, embora para passar o meu terror eu devesse contar detalhadamente. Basicamente, para fazer-me sentir-me culpado por ter ido sem ela, ela resolveu colocar fogo em umas toalhas (muitas!) no chão do banheiro, a ideia - isso tudo eu só concluí passados meses - era criar uma cena de horroincêndio pra quando eu chegasse. O que ela não calculou é que o álcool evapora rápido, então ela queimou o rosto, parte do cabelo, o pescoço, parte dos seios e da barriga. Ela me ligou em pânico e eu corri de carro tarde da noite em uma estrada deserta. Daí em diante nossos dias foram de hospitais (eu fiquei nos hospitais o tempo todo) e cirurgias plásticas. Ela não ficou com nenhuma sequela física. Depois que a ajudei com as queimaduras (em casa, eu fazia os curativos) e cicatrizes temporárias, terminamos (e no dia seguinte ao término ela bateu o carro e, pela forma como foi, parece ter sido proposital). Mas, enfim, consegui sair desse relacionamento abusivo depois de quase dois anos. Esse textão que escrevi é só uma porcentagem do que passei.
Menos de um mês após esse término, retomei contato com uma amiga (e paixonite platônica) de adolescência, acabou que ficamos e veio outro "love bomb". Caí nessa de novo pra depois de dois meses ela me tratar feito lixo, me dar respostas mal educadas, me ignorar e perder a paciência por coisas banais. Essa noite tive um pesadelo com o desdém dessa última ex (faz nove meses que terminamos) e acordei mal, por isso vim aqui desabafar. Felizmente, esse outro relacionamento não durou mais que quatro meses.
Hoje, olhando pra trás, percebo que caí nessas porque tenho uma carência advinda de um abandono afetivo na infância/adolescência, fruto de situações com meus pais. Ou seja, eu estive buscando suprir com relacionamentos uma carência paternal/maternal, então virei alvo fácil para pessoas complicadas ("love bomb" e visões idealizadas e fantasiosas de relacionamentos me fisgaram fácil). Eu estou bem atualmente e bastante feliz com vários projetos pessoais e profissionais, talvez esteja na melhor fase da minha vida nestes termos. No entanto, estou quebrado para relacionamentos e sei que precisarei de terapia para superar a resistência que adquiri com os traumas que relatei. A conclusão é: procure conhecer a si próprio e reflita bastante sobre porque não estar em relacionamentos lhe afeta, pois você pode estar tentando tapar um buraco que na verdade lhe fará ser presa fácil. Esteja em um relacionamento por ter descoberto alguém que te leve para frente, não somente por estar. Inclusive, não faz sentido estar em um relacionamento apenas porque você quer estar em um relacionamento. Não sei se estou sendo claro.
É isso, obrigado.
submitted by LeastFudge9 to desabafos [link] [comments]


2020.08.18 16:42 Akitemcoragen To desperdiçando minha vida?

Não me sinto bem, sla, sinto que estou desperdiçando minha vida, tenho medo de estar com depressão, fico desanimado, sem vontade de fzr as coisas e só fico pensando se estou jogando minha vida fora ou não.
As vezes eu sinto que precisava de alguém junto de mim, nunca namorei e desisti de tentar passei a ver namoro como forma de sexo fácil e só. Eu sempre tive dificuldade em arranjar alguém, praticamente perdi dois anos da minha vida atrás de alguém que me manipulava, falava que me amava e tudo mais, nunca tivemos nada sério. Ter parado de conversar com ela foi o melhor que fiz, depois disso tive mais decepções amorosas mais nada que se comprava o de antes, eu sempre fiquei na friendzone e odiava isso, dps de 2019 parei de tentar, eu me senti mais feliz e liberto de querer me pressionar a ter alguém.
Pode parecer bem merda essas coisas mais foda-se, eu nem sei pq to escrevendo isso, talvez seja pra me sentir mais tranquilo sla.
Eu sigo fznd EAD e isso é um puta saco do krl, odeio acordar cedo e isso me desanima, eu fico num meio termo entre fazer ou não. Por enquanto eu faço, não sei por quanto tempo mais vou fazer minha mãe praticamente me obriga a fzr essas tarefas, ela é bastante super protetora, por um lado é bom por saber que ela se preocupa e tem medo de algo acontecer cmg sla, por outro lado é ruim pq sinto preso e sem liberdade de fzr o que eu quiser, não me importo de sair na rua e acabar pegando corona, n ligo, n tenho medo dessa merda, mas ela n me deixa sair, as vezes a gente sai pra ir num supermercado sóq nada dmais. Nunca fui uma pessoa que gostasse de sair de casa, mas essa quarentena aumentou minha vontade de sair mais que tudo, me sinto preso, eu quero sair, quero ver uns amigos, quero curtir e não desperdiçar minha vida dentro do meu quarto.
Quero aproveitar cada bom momento que posso, mas n posso aproveitar pq n to vivendo bons momentos, só queria ter coragem de tacar o foda-se pra tudo e fzr tudo o que eu quero fzr. Eu sou bastante fechado e n gosto de falar sobre meus sentimentos, eu só coloco um sorriso na cara e tento fzr de todo momento um bom momento, difícil eu falar sobre o que sinto pras pessoas, eu nunca falei pessoalmente, só por mensagens, e ainda me senti desconfortável.
As pessoas ficam meio que endeusando relacionamentos como se namoro fosse a cura pros problemas, eu sei que não é e que tudo depende de mim e não de outra pessoa na minha vida, mais eu ainda sinto vontade de ter alguém. Vejo várias pessoas saindo e curtindo e eu n saio por causa de terceiros, eu n aguento isso mais, não ta dando.
Eu realmente nem sei pq escrevi isso, talvez eu só esteja desperdiçando minha vida e meu tempo.
submitted by Akitemcoragen to desabafos [link] [comments]


2020.08.18 01:59 EuRoddy Sou rejeitado por ser fora dos padrões

Amigos, preciso de ajuda.
Sou homem, carioca, tenho 28 anos, sou negro e gay. Embora eu seja uma pessoa normal, não tenho traços bonitos, meu rosto é coberto de cicatrizes e manchas de acne e foliculite, sou alto e desengonçado e sempre tive dificuldade em ganhar peso. Ou seja, sou feio. Talvez isso não seria um problema se minha vida não fosse tão triste...
Desde muito pequeno, sempre soube que era diferente. Embora gostasse de "coisas de menino", sempre percebi que a figura masculina me atraia muito mais que a feminina. Mas, por conta do enorme preconceito do ambiente familiar e na escola, tentei, por muitos e muitos anos, refrear qualquer tipo de sentimento homoafetivo. Sempre busquei me aproximar dos homens apenas como forma de amizade. Felizmente, pude ter alguns amigos ao longo dos ensinos fundamental, médio e superior. Apesar disso, o bullying foi uma constante na minha vida. Sempre fui humilhado, ridicularizado e até agredido fisicamente na minha infância e adolescência por ser um menino sensível, péssimo nos esportes e, sim, feio. Não bastasse a humilhação por parte dos meninos, também era rejeitado por muitas meninas. Na minha tentativa fracassada de tentar ser hétero, acumulei apenas frustrações. Conclusão: terminei o ensino médio, com 17 anos sem sequer ter beijado na boca.
Entre 2010 e início de 2012, passei um dos períodos mais solitários da minha vida. E foi nesse período que minha saúde mental piorou. Ao ter meu primeiro contato com a pornografia gay, me dei conta de que por mais que tentasse, era impossível mudar a minha natureza. Ou seja, eu era gay e teria que me conformar. Porém, logo me dei conta de que ser gay não seria fácil. Além de ter a certeza de que jamais poderia me assumir por conta da religião da minha família, me dei conta de que o meio gay tem um gosto em que não me encaixava: homens brancos, musculosos e bonitos. Exatamente o contrário do que sou.
Quando comecei a faculdade, felizmente encontrei um ambiente diferente de tudo que até então tinha experimentado. Mantendo minha sexualidade escondida, fiz amizades, fui respeitado, saí, me diverti. Porém, faltava algo. Nunca havia namorado. Sequer tinha ficado com alguém. Estava eu com 23 anos sem sequer saber o que era tocar em uma pessoa. Até que, por influencia de amigos, cometi um dos piores erros da minha vida. Tentei namorar uma amiga, a única pessoa que, até então, demonstrou abertamente ter gostado de mim como homem. Meu desespero em me sentir uma pessoa normal falou mais alto, e eu investi nesse relacionamento desde o princípio fadado ao fracasso. Foi nela em quem dei meu primeiro beijo. Mas foi só isso. Embora eu tentasse, não sentia atração sexual por ela. Por mais carinhosa que fosse, eu sabia que não era aquilo que eu queria pra mim. Mas eu não poderia dizer porque tinha vergonha e medo demais para assumir que era gay. Até que um dia, tivemos uma discussão por conta de um amigo que ela não gostava e nossa tentativa de ficada acabou poucos meses depois. Pelo menos eu saí da faculdade tendo beijado na boca. Mas ainda virgem. Aos 25 anos...
O tempo passa. Me limito a saciar minha sexualidade com pornografia e masturbação. Mas só quando dava, porque dividia o quarto com meu irmão. Em 2018 entro no mestrado. Pouco mais de um ano depois, começo a escrever minha dissertação, termino meu estágio numa boa empresa e agora tenho tempo de sobra pra ficar em casa. E foi aí que a coisa piorou mais ainda. Novamente solitário, vieram a ansiedade e os sintomas de depressão. Não tinha ânimo para nada, sentia apenas o desespero por viver uma vida de merda, sem emprego, fazendo algo que detestava, e sem nunca ter tido a oportunidade de ser quem eu realmente era. Até que, decido a finalmente viver minha sexualidade, criei uma conta em um app de encontros gay, o Grindr. Tentando ter minha primeira experiência sexual, já aos 27 anos, acabei dando de cara com outra realidade: a do preconceito no mundo gay. Sendo negro, pobre, magro e fora de qualquer ideal estético, só encontrei mais rejeição. Algumas poucas e raríssimas vezes, tive momentos de felicidade ao não ser bloqueado por alguns caras, a maioria desses apenas por causa do meu pênis, certamente a minha única qualidade reconhecida pelos gays. Por quatro meses, busquei me relacionar com alguém, sem nenhum êxito. Até que em 4 de março desse ano, tive a chance que mais queria. Perder a virgindade. Mas o que parecia bom, foi na verdade uma das piores sensações da minha vida. Ao chegar na casa do rapaz, que morava a uns 500m da minha casa, me foi dado apenas o direito de fazer sexo oral e receber o esperma dele. Migalhando um pouco de prazer, me arrisquei fazendo sexo sem camisinha com um cara que nunca tinha visto na vida. Não rolou beijo, não rolou conversa, não rolou carinho. Apenas tive 10 minutos de sexo e fui pra casa. Uma semana depois, conheci outro cara, de 38 anos, lindo. Definitivamente a melhor coisa que poderia acontecer. Quando nos encontramos, ele pegou na minha mão, conversou comigo e me deixou à vontade. E transamos. Ou melhor, tentamos. Dessa vez, a minha total inexperiência me brochou. Ele gozou, eu não. Aliás, também não gozei na minha primeira transa. Perguntei a esse cara se eu o tinha decepcionado, ele disse que não, que deu errado pelo nervosismo. Acreditei nisso. Até que um dia, ele me chamou para ir à casa dele, à noite. Por medo de dar errado de novo, e pra não gerar desconfiança em casa, não fui. E o cara que eu achei compreensivo, e o primeiro homem que beijei, aos 27 anos, passou a me ignorar. Semana passada, tive uma das piores crises de ansiedade que já senti. Chorei de domingo a sexta. Tentando me aproximar dele de novo, pedi sua ajuda. Disse que estava me sentindo mal. Perguntei a ele se ele tinha me achado realmente atraente, se ele sentiu tesão em mim. Ele disse que iria responder, que estava digitando e que mandaria a resposta quando pudesse. Até agora nenhuma resposta. Me senti rejeitado de novo. Mas nada está ruim que não possa piorar...
Continuando minha busca por viver minha sexualidade, encontro cada vez mais nãos. Quando inicio uma conversa enfiando foto, sou bloqueado. E nas situações em que a conversa passa do oi, todo interesse do outro lado acaba quando mostro meu rosto e meu corpo. Cada vez mais minha autoestima diminui. Me sinto um lixo. Desde janeiro faço academia, já ganhei peso (embora ainda magro), tenho cuidado da pele do rosto e já até adotei um penteado mais moderno, mas tudo que eu tento fazer para ser alguém atraente de nada adianta. Sou preterido por ser fora dos padrões. Me sinto feliz por saber que ao menos uma vez pude beijar e me relacionar com alguém. Mas a certeza de que dificilmente irei encontrar alguém com quem possa dividir bons momentos me entristece demais. Aos 28 anos, nunca namorei. Nunca soube o que é me apaixonar. Não sei o que é sair com um namorado. Não sei o que é ser amado. E por mais que eu tente ser bom nas outras áreas da minha, a solidão é dolorosa demais. Sinto vontade de morrer. Minha comunidade me rejeita.
Sou infeliz.
submitted by EuRoddy to desabafos [link] [comments]


2020.07.29 05:44 ThiiSun SOU BABACA POR EXPULSAR MEU EX E FAZE-LO IR EMBORA CHORANDO BEM NA NOITE DE NATAL?

Ola luba, editores, gatas e turma que esta a ler!
Essa historia eu não lembro com detalhes já que quando aconteceu eu tinha por volta de 13/14 anos, mas enfim, bora lá.
Pra contextualizar. Eu namorei o, vamos chama-lo de Criança, por uns 3 meses, eu tinha 13 e ele 18 (sim, FBI cheira o microfone nesses momentos), como eu era extremamente jovem e estava em meu primeiro namoro, não sabia como agir algumas vezes, acabava sendo bastante infantil (POR QUE SERÁ NÉ!) mas o Criança não ficava atrás, ele chegava a ser pior e por conta disso nos separamos e voltamos no minimo umas quatro vezes. Até que chegou o definitivo, onde eu terminei após descobrir que ele falava mal de mim pelas costas. Ai okay, vida que segue.
Na escola eu tinha um amigo, vamos chama-lo de Babaquinha. Ele nunca gostou do meu ex pelo fato de que ele gostava de mim, porém eu não sentia a mesma coisa, já que estava cega de paixão pelo Criança (mesmo após o termino). Eu citei o Babaquinha por que ele tem haver com a historia.
Então chegamos ao dia do acontecimento. Estava tendo uma festa de natal aqui em casa e minha família inteira estava aqui. Eu estava me divertindo com minhas primas até que uma tia minha me chama e diz que tinha um rapaz me chamando lá fora.
Quando eu fui ver, lá estava o Criança, todo arrumado e com um sorriso gigante na cara. Já fazia mais ou menos um més que não nos víamos, já que eu sai da igreja e ele também. Eu já sentia a raiva subindo pelo meu corpo só de o ver ali.
Quando perguntei o que ele fazia ali, já sendo grossa desdo inicio o seguinte dialogo se iniciou.
Criança: Fiquei sabendo que voltou pra igreja.
Eu: Sim, e o que tem?
Criança: Ah nada, apenas queria saber se já voltou a louvar ou algo do tipo (Quando você sai da igreja e volta, você fica um tempo de banco, sem poder cantar ou ajudar, eu tive que ficar 2 meses de banco)
Eu: Não, ainda estou de banco, mas Criança serio, porque você veio aqui? A gente terminou.
Criança: É que eu queria te ver e dizer umas coisas sobre o Babaquinha. Eu conversei com ele pelo facebook e...
Eu: Serio que você veio até a minha casa pra fofocar sobre o meu melhor amigo?!
Criança: Eu só vim dizer que ele só quer te comer! Ele me disse isso!
Eu: Eu não acredito nisso! Cara, me esquece, você faz um monte de merda, termina comigo só pra ficar com outras garotas, fala de mim pelas minhas costas e agora aparece na minha casa pra falar mal do meu melhor amigo que você nem conhece! A gente terminou e não temos nada! O que acontecer comigo e com o Babaquinha é assunto meu! Você não tem o direito de vir falar coisa alguma!
O Babaquinha foi o meu melhor amigo naquela época, me ajudou em diversas coisas, principalmente quando eu ficava mal pelo Criança, e eu sempre levei pra vida que: Amigos são muito mais importantes que relacionamentos amorosos, e eu não aceitava o fato dele vir falar mal de um amigo tão importante para mim.
Criança: Você é burra e uma criança! Não vê que estou tentando te ajudar?! Eu amo você!
Eu: Cala a boca, se você gostasse de mim nunca teria feito as merdas que fez! E você não esta ajudando em nada só esta atrapalhando o meu natal, então por favor, vai embora!
Criança: Tá! Okay, eu espero que ele te coma e depois jogue fora! Afinal, eu sei que você já ficou com ele! Eu vou rir muito quando ele transar com você e te deixar sozinha! (lembrando que eu tinha 14 anos e meu amigo também)
Nesse momento ele já estava chorando assim como eu, e quando ele foi embora eu simplesmente desmoronei, me sentia extremamente mal. Veja, eu nunca gostei de conflitos e nunca gostei de ser grossa com alguém, porém não pensei na hora que falei algumas coisas. E também ele foi a primeira pessoa que eu amei, e ouvir ele dizer aquelas coisas piorou a minha situação.
Mas enfim Luba e Turma, eu fui babaca por ter expulsado ele e ter feito ele chorar? Mesmo que já faça anos que isso aconteceu eu ainda fico com isso na cabeça, me perguntando se as palavras que usei foram as certas. E desculpas pelo texto gigante!
Enfim, amo você e os editores, obrigado por ser esse ser incrível que você! Bjs =30
submitted by ThiiSun to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.28 04:51 NotAAlexTurner Sou babaca por culpar meus pais pelos meus transtornos alimentares e mentais?

Olá Luba, editores, gatas, turma e fantasma do primo Henrique que está atrás do Luba tentando mudar a cor dos leds. Talvez pelo meu nickname alguém lembre da minha pessoa reclamando da minha vida amorosa mas agora o buraco é mais embaixo.
Vamos lá, começaremos pelos meus fatos. Tenho 16 anos e sou a terceira de um quarteto de filhas. Tenho meus pais separados, eles tiveram os motivos deles e estou bem com isso mesmo convivendo com as brigas da separação mas atualmente eles estão de boa pois tem mais duas filhas (eu e minha irmã mais nova) para chegar aos 18. Minhas duas irmãs mais velhas engravidaram antes de acabar a escola, assim como minha mãe e talvez isso tenha a ver com a história.
Nessa semana meus pais decidiram pegar no meu pé sobre eu ser perfeita, ter que emagrecer, alisar meu cabelo e ser como as garotas da minha idade e isso me gatilhou sobre coisas da minha vida. Eu sofro de ansiedade e síndrome do pânico (sou medicada) e com tantos comentários sobre meu corpo eu comecei a desenvolver um certo T.A que é melhor poupar detalhes mas eu me olho como gorda e ando fazendo o impossível para voltar a vestir 36 e graças aos comentários deles sobre meu corpo novamente que eu explodi e gritei que estava do jeito que estou por causa deles. porque isso? bem, desde que minhas duas irmãs tiveram seus filhos que eles me tratam como se eu fosse a última esperança. Eu nunca namorei, não saio e vivo pra escola. Sou a única filha que está terminando a escola na idade certa e que pensa em fazer uma faculdade. Mesmo que tenha a irmã mais nova, eles tratam como se eu fosse a que tivesse dar sentido ao nosso sobrenome já que minha irmã está indo pelo caminho que ele não querem (indo como minhas irmãs) e tendo eu eles deram a mesma liberdade que minhas outras irmãs tiveram a ela.
Graças a essa crença sobre mim eu nunca pude ter um relacionamento com alguém. Nunca trouxe amigos em casa ou pude sair sozinha com eles ou fazer coisa de pessoas da minha idade como ir a festas pois eles me tratam como uma criança que devessem proteger e que eu tenho que ser a filha perfeita e essas coisas fazem minha psiquiatra e eu mesma a acreditarem que é destrutivo pra mim pois os mesmos que dizem que eu tenho que ser feliz e me cuidar não me deixam ter ânimo pra isso pois eu sou um robô dedicado apenas a fazerem sentir bem com uma das obras que fizeram. Eles não aceitam que toda a pressão deles me fizeram mal e eu fiz questão de jogar isso na cara deles com direito a palavrões, xingamentos e ressentimentos jogados no ventilador. Eu sei que fui grossa mas não me arrependo.
sou babaca por não querer entender o lado deles por me quererem viver a vida que nenhuma das minhas irmãs viveram? sou babaca pelo jeito que eu falei?
submitted by NotAAlexTurner to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.27 06:05 b_bast4rz O motivo de ter desistido de relacionamentos

Olá Lubisco, editores, gatas, finados papelões,possível convidado e turma que está a ver.
Espero que estejam todos bem ^^
Bom, eu tinha um pouco de receio de contar essa história com medo de dar algum B.O, mas acredito que se não citar nomes não vai ter problema, plus não tenho nada a perder explanando isso pq a pessoa em questão não acompanha o canal(inclusive falava mal do Luba chamando ele de "chaveirinho de hétero")
A história é beeeeeeeem longa então me desculpem :/
Essa é a história do meu último relacionamento
Antes de conhecer a dita cuja eu namorei outra menina por 4 anos, e foi um relacionamento bem tóxico e abusivo, minha auto estima foi destruída aos poucos ao longo dos anos mas mesmo assim eu continuei com ela pelo medo de abandono, pq se eu era a merda que ela falava que eu era mas ainda tava comigo, sem ela eu não teria mais ninguém. Até que chegou num ponto que terminamos de vez e eu decidi ficar longe de qualquer pessoa, mas a carência falou mais alto e fui me aventurar no Tinder pra conseguir algum rolo. Consegui alguns e tals, até que conheci a Jenny(nome fictício). Ela era linda e tinha muito em comum comigo, tínhamos a mesma idade, nascemos no mesmo mês e os gostos eram idênticos, e curiosamente ela também tinha saído de um relacionamento abusivo(que eu descobri que era mentira, mas conto sobre isso depois) ficamos por alguns meses e eu decidi pedir ela em namoro, e foi aí que minha vida mudou. Todo aquele terror do meu último namoro sumiu e foi só felicidade, era um namoro perfeito, tínhamos planos pro futuro, sonhos e tals e eu achei que daria tudo certo, até que chegamos em 2019. No início do ano ela tinha pedido pra terminar comigo, porque estava duvidando da sua sexualidade(ela era bi, mas tava pensando que era na verdade lésbica) eu entendi a situação e mesmo ficando triste aceitei o término e disse que se fosse pra gente ficar junto a gente ficava. Foram 4 dias separados até que ela voltou atrás e pediu pra voltar, aceitei e as coisas ficaram como eram antes, pelo menos por uns 2 meses. Ela morava numa república com amigos, todos homens, eu conhecia todos e também considerava eles meus amigos, e sabia que eles respeitavam nossa relação, porém um deles, que até então não representava uma ameaça começou a ficar bem próximo dela, achei um pouco estranho no começo,mas confiava nos dois. Mas as coisas começaram a tomar um rumo beeeeem mais estranho, ela chamava ele pra sair pra bares mas não me chamava(não era muito meu tipo de rolê na época, então eu acabava evitando, um erro bem idiota meu), Overwatch que era um jogo que eu comprei pra jogar com ela, ela jogava 2 ou 3 partidas comigo mas ficava horas a fio com ele e pra fechar, filmes que a gente tinha marcado de ver junto ela via com ele. Isso começou a me incomodar muito e eu cheguei q conversar com ela diversas vezes, mas ela sempre vinha com a desculpa de que não tinha nada e que ela via ele como um irmão.
Acreditei, mas ainda sim fiquei receoso por um tempo. Eis que chegou Junho, ela tinha uma apresentação na faculdade e eu estava a caminho pra poder assistir(tinha trocado de curso pro curso dela, não me arrependo mas evitar ela nos corredores foi foda) no caminho ela me disse que depois da apresentação ela ia pra uma boate comemorar e disse que como sabia que eu não queria/não poderia ia ela tava me avisando pra eu não me sentir excluído, então eu decidi ir com ela, pq queria fazer parte de alguns dos hobbys dela e me acostumar com a vida de balada e barzinho, chegando na casa dela antes de sair pra faculdade ela me trancou no quarto dando várias desculpas pra eu não ir pra balada com ela até que eu perguntei se ela queria terminar comigo de novo e ela disse que sim. Perguntei se era pelo mesmo motivo de antes e ela confirmou, mas dessa vez era diferente pq ela tinha perdido a atração fisica em mim. Novamente tentei levar na boa falando que se era isso mesmo era pra ela sair e ver o que ela queria, que se fosse pra gente ficar junto a gente ficaria, mas perguntei se ela tava sentindo atração pelo amigo, e mais uma vez ela veio com a mesma desculpa. Saí do apartamento dela e fui pra minha antiga faculdade acudir uma amiga que tava com alguns problemas, acabou sendo uma ajuda mútua :v
Passou uns dias e eu descobri que na mesma noite que ela me largou ela ficou com o cara. Eu não posso apontar o dedo pra dizer que ela me traiu, pq não tenho como provar, mas algumas situações indicam que sim ela me traiu, mas não vou entrar e detalhes quanto a isso agora.
No dia seguinte do término eu ainda não sabia que ela tinha ficado com o cara, mas tava sofrendo demais, na época eu usava o Twitter e fui la afogar as mágoas de noite enquanto fumava, bebia e ouvia músicas. A Jenny acordou depois da noite de bebedeira e foi ver meu Twitter, onde ela printou um tweet e me mandou, tivemos uma discussão pelo Whatsapp que eu vou postar os prints depois.
Os dias se passaram e eu segui triste e remoendo as coisas, cheguei a perguntar amigos dela se ela tinha comentado alguma coisa sobre terminar antes mas nenhum disse nada, até cheguei a perguntar um dos meninos que dividia o apartamento com ela, que ate então era o melhor amigo dela se ele sabia, mas como ele ainda tava do lado dela na época ele não disse nada. Então tomei coragem e fui atrás da fonte do meu ciúme e perguntei se eles tinham ficado, quando ele confirmou eu desabei no chuveiro chorando, pra piorar ele foi falar com ela, que acabou mandando um áudio admitindo que tinha ficado com ele na noite do término, mas estava extremamente puta comigo pq eu tava me intrometendo na vida dela, sei que depois do término ambas as partes não são obrigadas a dar satisfação, mas como tinha sido um término muito estranho eu queria ir a fundo. Depois de chorar horrores eu tentei me acalmar e falei que tinha ficado bem chateado com os dois, porque eu me senti traído. Foi eu falar isso que ela riu da minha cara e me bloqueou de tudo, e vamos de choro de novo, dessa vez ligando desesperadamente pra ela pra me desculpar, quando ela atendeu eu disse que tava de cabeça quente e não pensava direito, na verdade eu só queria manter ela por perto pq eu ainda a amava e queria tentar voltar, até desconsiderei ela ter ficado com o cara na noite do término pq ela disse que tava bêbada e foi coisa de momento, o que hoje em dia eu obviamente não acredito. Tentei manter isso por algumas semanas, mandei algumas mensagens e numa delas ela disse fez alguns testes psicológicos e descobriu que ela era insatisfeita com tudo, inclusive nosso relacionamento e disse que precisava colocar a cabeça no lugar e que não ia namorar de novo pq tinha que ficar sozinha. Dei esse espaço pra ela, mas a ansiedade falou mais alto e eu liguei de novo, dessa vez pedindo pra voltar quando ela tivesse e sentindo melhor, e me coloquei a disposição a ajudar ela com o que precisar, desde indicações de psicólogos e psiquiatras até medicamentos, e mantivemos uma certa amizade por um tempo, se é que da pra chamar assim, já que era ela responder stories no meu insta.
Quando as aulas voltaram e ela passou por mim pelo corredor, fui ignorado e fui chorar no banheiro. Os meses se passaram e eu ainda tinha em mente que era possível voltar, até que uma amiga decidiu tirar o band-aid da minha ferida e me mostrar alguns tweets dela, onde ela dizia que queria o @ dela deitada na cama e que tava muito apaixonadinha, adivinhem quem curtiu esses tweets? O @ dela, o amigo do apartamento . Dias depois eles assumiram um namoro.

Quando eu descobri que ela tinha assumido o namoro com ele, todas as minhas esperanças foram por água abaixo, tudo o que eu queria era meus mangás e pôsteres de volta, tudo que ela tinha deixado na minha casa eu ja tinha juntado numa sacola e só tava procurando alguém pra devolver, pq eu não conseguia olhar pra cara dela sem sentir um misto de tristeza, raiva e decepção. Finalmente achei alguém pra fazer a troca, entreguei a sacola pra uma amiga em comum e ela devolveu pra mim, ficaram faltando os pôsteres então ela entregou outra sacola pra menina, junto dos pôsteres, uma carta em resposta da que eu tinha escrito em Junho quando ainda tinha esperança de voltar(a troca rolou no início de Outubro), nessa carta ela dizia que não acreditava em nada do que eu tinha escrito pelas coisas que eu tava falando dela pelo Facebook, o que na verdade foi uma indireta pra minha outra ex, já que eu tinha ficado sabendo que as duas tinham conversado e a abusiva disse que eu era o monstro a relação e que ela sempre tentou me ajudar. Vou passar por isso rapidamente, a ajuda dela eram ameaças de término se eu não fizesse o que ela queria, seja entrar na faculdade, arrumar um trabalho ou tirar carteira, e como minha mente já tava toda fudida pelos outros abusos, meu medo de abandono gritava enquanto eu tentava fazer o que ela me mandava, que quando sem sucesso ela ficava puta. O post no FB era um print do Twitter dizendo "todo mundo é tóxico menos você né? Anjo perfeito enviado dos céus", desbloqueei minha ex abusiva exclusivamente pra ela ver isso, mas acabou atingindo outra pessoa, mas se a carapuça serviu eu não posso fazer nada.
Sabendo que ela via meus posts de alguma forma, deixava alguns posts em público, queria que ela visse que eu tava desapontado com o que ela fez, e também queria me lembrar pra sempre do que acontece quando a gente se entrega pra alguém. Esses posts levaram a uma situação onde uma amiga dela pegou todos e printou e postou no Twitter pra me ridicularizar, e chamou a Jenny pra bater palma pra isso, quem me disse isso foi o melhor amigo dela, agora não mais já que eles brigaram. Com essa situação eu decidi pegar vários áudios que minha amiga tinha salvo a minha ex metendo o pau dessa amiga por conta do show do BTS e fiz um vídeo, mas não postei em lugar nenhum, deixei salvo aqui esperando algum outro post escroto.
Hoje eu acho que nem postaria, pq só quero ficar em paz, a menos que tenha alguma outra situação do tipo, pq não vou ficar calado.
Sobre o relacionamento abusivo dela, como ela foi atrás da minha ex, tomei a liberdade de fazer o mesmo um tempo depois e disse as coisas que ela falava dele, o que ele me disse foi que ela dizia a mesma coisa de outro ex. É como se fosse um ciclo vicioso, ela namora uma pessoa, se arrepende e essa pessoa vira um monstro que ela conta pros outros namorados pra eles sentirem pena.
Enfim, quero finalizar aqui dizendo à todos que eu não odeio ela, mesmo o ódio sendo negativo ele é um sentimento forte demais pra sentir por alguém que te fez tanto mal, só fico desapontado com o que ela fez comigo, eu fui sincero com ela falando o que eu passei por 4 anos em outro namoro e ela me disse que também passou em um, éramos duas pessoas quebradas e na minha mente os pedaços faltando de ambos se completariam, mas não é assim que funciona e não foi isso o que ela fez. Ela viu o quanto eu era quebrado mas decidiu quebrar mais, não só isso, fazendo isso ela tirou completamente minha capacidade, minha coragem e minha vontade de amar, eu real não consigo me entregar de novo pra ninguém, pra me lembrar disso pra sempre uso uma aliança preta representando o luto. Se você leu até aqui, muito obrigado de verdade, eu sinto que tirei um peso gigante das costas com isso, grato pela atenção de todos.
Os prints estão no Imgur e o tem um áudio e um vídeo que não deu pra postar, depois eu dou um jeito de mostrar pra vocês ^^
https://imgur.com/7tESoww - Discussão que tivemos no dia seguinte
https://imgur.com/nWl5UDt - Quando eu descobri que ela ficou com o cara
https://imgur.com/A85izEl - As cartas
https://imgur.com/tCDNS2b - Conversa com o ex dela
https://imgur.com/feDWFhP - História que ela inventou no TT. Pra mim ela tinha dito que era a mãe que traía o padastro depois do divórcio, mas ela quis queimar o pai dessa vez não sei pq.
submitted by b_bast4rz to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.25 08:59 schneider54 Enjoado

Eu tenho um problema doentio de enjooar de pessoas, já namorei uma vez com alguém que amei e amo até hoje, nossa relação ia e voltava constantemente e sempre era porque eu me afastava, eu me afastava porque aquela situação toda era melosa demais e eu fica entediado e enjoado com as conversas (eram online, mas a gente se conhecia na vida real óbvio) eu não tinha vontade de responder ela e então terminava afinal eu só ia fazer ela sofrer, sei que sou doente por abandonar essa garota dessa forma várias vezes, mas depois que eu terminava eu me via vazio e sentia falta, eu sempre valorizei a incrível pessoa que ela é, mas não conseguia deixar de enjoar. Isso foi em 2017, em 2018 eu me mudei e conheci uma garota que simplesmente não enjoava não importa o quanto conversava com ela, ela não me dava muita bola e era areia demasiada para meu caminhão, depois do ano acabar me mudei de novo e na metade de 2019 mudei de volta, eu gostava daquela garota ainda e me vi tentado a pedir ela em namoro, eu pedi na frente de uns amigos e ela disse que ia pensar (que coisa não? Para um babaca eu tava animado demais...) um ou dois dias depois meu amigo apareceu falando que ela pediu ajuda para o professor que viu a cena toda ajudar ela a me dispensar sem me machucar, obviamente fui destruído emocionalmente e fisicamente, enfim, algum sofrimento depois, era aula daquele professor e ele disse "e ai? Ela aceitou?" naquele momento eu falei que não tinha tido resposta ainda, não tinha juntado as peças ainda mas quando me deitei aquela noite e pensei direito "porquê ele me perguntou aquilo se supostamente ja sabia que ela ia rejeitar? Era para caçoar da minha cara? Ou meu amigo mentiu para mim? Ela vai realmente negar ou vai aceitar?" eu estava cheio de confusões e ideias doidas na minha cabeça, desestruturado, desmotivado por tudo, e por ela ter demorado mais um pouco responder pensei que ela poderia estar se sentindo sufocada ou machucada pela pressão, então me afastei, não... Eu me senti covarde por saber que ela provavelmente iria me negar e não queria machucar ela também... Me afastei até o último dia do ano letivo.
O último dia do ano letivo, eu tenho problemas por procrastinação pesada, então eu deixava atividades e estudos tudo pra última hora e muito normalmente não fazia, mas eu consigo assimilar conteúdo e tudo sem estudar então isso nunca foi problema pra mim...
Até o último dia do ano, estava indo pro terminal pegar o ônibus, então na esquina da escola eu exitei e pensei em ir falar com ela sobre todo o ano letivo, eu sabia que ela estava na escola ainda, eu parei naquele canto, dividido em dois eu simplesmente comecei a lutar contra mim mesmo, decidindo se era uma boa ideia falar com ela agora e me desculpar pelo que aconteceu, ou eu ficava calado, então eu pensei "sempre posso falar com ela próximo ano" então eu procrastinei sobre aquilo até o próximo ano, pela primeira vez, a procrastinação aniquilou o resto patético da minha alma, no outro ano descobri que ela havia mudado de escola, comecei a pensar e ela poderia ter me rejeitado, afastado de mim, me batido e tudo de ruim, mas ela nunca me olhou com desgosto ou algo do tipo, ela tinha todos os motivos pra me odiar e talvez me odiasse, mas naquele momento eu notei que tudo isso seria melhor do que a impotência de não poder me desculpar, patético, patético, patético... Tentei pedir desculpas pelo Instagram, mas aquilo não é real, eu não sinto a glória que ela transmite naturalmente nessas redes sociais, agora 7 meses depois do ano acabar eu ainda não superei e continuo amando aquela garota, não acho que vou esquecer-la pelos próximos anos, ela foi a única pela qual não enjoei, enfim, o que eu deveria fazer? Chamar ela pra sair e resolver no encontro? Mas eu mal falo com ela pelas redes sociais, e ela não me chamaria voluntariamente, então ela não se importa comigo? Se eu chamar ela depois disso tudo ainda posso enjoar e machucar ela, ou eu deveria ser um covarde e simplesmente não chamar ela com medo de me ferir e usar a desculpa de que fiz isso para não machucar ela? Estou perdido e desesperado, por favor, me ajudem.
submitted by schneider54 to desabafos [link] [comments]


2020.07.20 16:00 lizjulie Minha mente transformou meu ex em um mostro que me gera muito panico.

Namorei um rapaz em 2018, foi meu primeiro relacionamento sério por assim dizer e eu estava realmente apaixonada. No começo ele era um cara legal, mas depois passou se mostrar muito ciumento, ignorante e extremamente manipulador, ele sempre era o certo e eu a culpada. Implicava com minhas roupas, com meus melhores amigos, até msm em certas coisas da minha família. Eu não percebia o que eu estava passando, nem que eu estava em um relacionamento abusivo até o fim disso tudo quando ele simplesmente terminou sem explicar o pq e me fazendo se sentir culpada. Cheguei a pesar 45kg, tive um aumento de ansiedade que mudou minha vida me transformando em uma bomba de sentimentos e pensamentos ruins, entrei em um início de depressão horrível. E graças aos meus amigos a quem eu devo muito e a minha familia consegui me recuperar. Quando comecei a namorar um rapaz maravilhoso, ESSE TREM RESSURGIU DO BUEIRO DO INFERNO pra me atormentar querendo voltar, eu muito boa decidi conversar e resolver para dar um ponto final pois não gosto de guardar rancores e assim se fez então finalmente tive paz. POREM... Quando terminei, o trem apareceu dnv literalmente feliz por me ver solteira e veio com um papo que queria tentar dnv, mas sem eu ter amigos e que seria só nos dois (ZERO NOÇÃO ESSE MULEQUE), eu fui sincera que não queria mais nada, deixei claro mais de uma vez e mesmo assim não adiantou!. E agora desde o começo do ano ele tenta ter acesso nas redes sociais (nas quais em todas ele é bloqueado), faz fakes, infernizou minha melhor amiga de td que é jeito pra ela me convercer a voltar, ela chegou até a ameaçar ele, e mesmo assim ele continuou, me achou até no tiktok, manda msg do whatsapp da mãe e do messager dela fingindo ser ela, de todo modo ele quer saber da minha vida. E ele tem uma energia tão ruim que só de estar perto dele vc sente um desconforto, minha melhor amiga chega a ter panico tbm quando ele reaparece, só de tocar no nome dele minha pressão cai. Tive um ataque de panico no meu trabalho dps que ele mandou uma msg se passando pela mãe dele. Minha mente imagina ele me seguindo, tentando me causar algum mal, tudo isso gerado pelo panico na minha mente (algo que eu não tinha antes dessas tentativas nas redes sociais). Não sei se é a minha cabeça, se criei um monstro ou se ele realmente é todo esse mal, isso me tortura, me faz ter pânico. Primeiro desabafo aqui, gostaria de saber oq vcs acham.
submitted by lizjulie to desabafos [link] [comments]


2020.07.19 10:44 anaxbello Devo expulsar minha avó da minha vida?

(Agr q eu reparei q meu usarname do reddit é meu nome real então se por um acaso aparecer minha história em vídeo oculte meu nome de usuário, quero evitar problemas, please)
Olá pessoal do reddit, gatas, falecido fodrigo raro, donos do canal, Luna e convidado que nunca tem mas a esperança é a última de morre. Eu to meio que postando aqui como desabafo (a história é longa mas tentarei reduzir ao máximo mas detalhes são importantes para vocês julgarem), quero saber se estarei fazendo a coisa certa, e se serei babaca nessa história. Busco o conselho e o julgamento de vocês.
Bom... aqui vão algumas características da minha avó (que tem 70 anos): ela diz não ser racista mas quando namorei um menino negro ela perguntou se não tinha opção mais branquinha (ps.: ela é parda); ela dizia não ser homofóbica mas desde criança ela me perguntava "você não é sapatão NÃO NÉ?!", depois que eu me assumi bi ela disse que tentava só me tirar do armário a força (sim, ela usou a palavra "a força"); ela odeia todos os meus amigos por motivos ridículos como "você fala muito palavrão porque tal amigo fala também e você o copia" (sendo que ela me ensinava palavrão aos 5 anos de idade); desde pequena minha mãe fala "não conta isso pra sua avó porque ela pode encher o seu saco, e depois vai encher o meu saco palpitando na criação que eu te dou (e são coisas idiotas, exemplo comer salsicha com ovo mexido no café da manhã); ela me leva pra viajar sempre e conhecer novos lugares, sou muito agradecida mas se não quero fazer algo com ela, ou faço com outra pessoa ela faz jogos mentais e chantagem emocional como se eu fosse uma neta interesseira; ela é bastante fofoqueira (como contar que o filho da vizinha/amiga dela é gay, ps.: eu já sabia disso porque nós já fomos amigos, e disse pra ela "ele me contou mas não sou fofoqueira então não falei isso pra ninguém", ela me chamou de arrogante); além dela já ter invadido minha privacidade diversas vezes tomando o celular da minha mão (praticamente todos os meu telefones celulares que tive foram dados de presente por ela de aniversário, e ela usa isso como "vantagem/desculpa" para fazer o que quer) pra ver conversas e galeria, e de me forçar a escrever a senha do meu telefone na geladeira dela pra ela mexer quando quiser, mudei a senha e quando descobriu disse que se eu estiver morrendo e o celular dela não tiver bateria eu vou morrer e vou receber o "castigo do universo" (palavras dela).
Minha avó é mais coisas que essa pequena listinha mas já deu pra entender que ela é um tipo de parente tóxico. Nossa família sou eu, minha mãe, minha avó e minha tia-avó (irmã casula da minha avó). Então ela faz uns joguinhos de falar mal de alguém pras outras pessoas da família e tenta te jogar pro lado dela, isso acontece direto em alguma data comemorativa quando alguém vai ao banheiro. Nessa época de quarentena tem sido bem difícil porque ela exige atenção mas tem todo um desgaste emocional com ela, mesmo que só por telefone. Quando eu morei com ela pra fazer meu ensino médio numa escola melhor, coincidentemente meses depois eu desenvolvi ansiedade e passei a tomar vários remédios (isso tem 5 anos, e até hoje não consigo largar eles) minha mãe me levava ao psiquiatra sem minha avó saber e comprava os remédios e eu escondia com medo dela jogar fora (porque ela já fez isso uma vez quando eu tive que tomar antibiótico quando eu tinha uns 10 anos). Ela não acredita que eu tenho essa "doença", porque quando estou com ela eu não tenho crise (hoje em dia eu só fico com ela quando viajamos ou ela precisa de ajuda minha em algo, mas sempre arrumo desculpa para ir pra casa logo para não ter crise e ter que fingir que está tudo bem, isso só torna a crise mais intensa, uso desculpas como "tenho médico 6hrs da manhã do lado da minha casa). Eu geralmente ligo pra ela nessa pandemia uma vez na semana e minha mãe liga nos outros dias já que eu estou em crise de depressão constante e ela tenta segurar a barra pra mim. E sempre que ligo é "você sabe a última vez que você me ligou? foi tal dia....", ela fica uns 20 minutos falando disso, mais 20 é ela reclamando que não respondo mensagens das redes sociais (já falei pra ela mil vezes que saí de tudo pois não me fazia bem, e ela insiste que eu instale e faça login, só para responder uma mensagem positivista de pande***, e eu odeio mensagem positiva de que tudo vai ficar bem, e ela sabe disso, mas entra por um ouvido e saí pelo outro), 2 min é dela falando de receita que ela fez, uns 10 min falando que eu e minha mãe tomamos remédios demais porque queremos porque 'ELA TAMBÉM TEM ANSIEDADE E SABE SE CONTROLAR E FECHAR A BOCA PARA NÃO ENGORDAR É SÓ A GENTE APRENDER TAMBÉM QUE A ANSIEDADE VAI EMBORA' (ela é aquela pessoa que tenta competir em quem está mais na merda) e 1 FUNKING HORA falando sobre fofoca alheia.
Sempre que converso com ela fico uns 2 dias de cama me sentindo mal, sem comer (só como quando meu amigo me obriga, levando comida no meu quarto), ainda bem que esse meu amigo que mora comigo é bem compreensivo e tenta me animar (foi ele que me fez voltar a assistir vídeos do luba, pois eu parei de ver vídeos do youtube a uns 2 anos por achar que isso estava tirando meu foco da faculdade). Ps.: gostei da evolução do lubatv, consigo me identificar mais com o ser Lucas.
Mas és que vem a pergunta, sou babaca de cogitar dar adeus para a minha avó? Meus amigos falam que tenho que aproveitar enquanto ela está aqui e tals mas é muito desgaste emocional para mim e fico pensando no que será melhor pra mim. (eu sei que quando eu conversar com ela irá dizer "você quer me deixar só porque não estamos podendo viajar", mas eu juro que não é isso, e mesmo se fosse seria muito sacrifício só por viagens de graça e presentes caros).
E aí? Devo tira-la da minha vida? E outra, serei muito babaca se fizer isso (um pouco babaca eu já sei que serei porque é família e ela já é pequena)???
submitted by anaxbello to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.17 19:29 Vanique12 Namorei por 4 anos e teoricamente fui trocado por religião

Eu namorei uma menina por quase 4 anos, ela é evangélica e eu sou nada (eu é algo que para mim não faz diferença). Tivemos 3 anos maravilhosos passamos o ensino médio namorando e foram os melhores 3 anos de toda minha vida, só que ela sempre quis que eu fosse para a igreja com ela mas ela sabia que eu não me sentia bem lá e isso machucava ela... Bom, só que em 2020 ela encontrou alguém que é bonito e vai a igreja e então deve ter me trocado, isso me machucou muito cheguei a ficar quase 3 dias sem dormir e comer direito fiquei muito mal.
O problema é que eu já "superei" ela mas não paro de pensar, ela achou alguém muito rápido e eu tô aqui desamparado sozinho e ainda agora que aonde eu trabalho vejo um amigo da família dela toda semana o que me fez ficar mais mal não sei como prosseguir (PS: amo meu trabalho mas ficar toda semana com isso é foda)
submitted by Vanique12 to desabafos [link] [comments]


2020.07.16 06:41 Ni1314 Eu não me apaixono faz 2 anos e me sinto um merda por isso, porém só tenho 13 anos, eu estou sendo vitimista ou algo do tipo?

Eu só tenho 13 anos e acho que talvez não era para eu estar aqui, talvez não era para eu estar na internet. Mas de qualquer forma quero "desabafar".
Minha história com "amor" começa quando eu tinha 6 anos, eu tinha acabado de mudar de escola e eu estava bem empolgado. Lá eu conheci uma menina que foi muito legal comigo, porém de primeira não fiquei interessado nela
Alguns anos se passaram, eu já tinha 9 anos, e eu percebi que eu amava essa menina, eu realmente amava ela. E por causa disso eu começei a mudar minhas atitudes, eu agora me importava com minha higiêne, me arrumava melhor, e por aí vai.
E tipo, eu realmente amava ela, eu não sentia nenhum desejo sexual ou carnal por ela, eu simplesmente amava ela e queria ser feliz com ela.
Com o tempo nosso relacionamento foi evoluindo e ela também começou a gostar de mim, mas eu não tinha coragem de assumir, muito menos ela. (Me lembrou de Kaguya-sama).
Alguns anos se passaram, agora era 2018 e eu tinha 11 anos, e parecia estar tudo caminhando para nós começarmos a namorar. Mas eu recebo uma notícia: minha mãe ia me trocar de escola no fim do ano. Após receber essa notícia eu fiquei bem triste e pensei em todos os amigos que eu ia perder, e também pensei nela.
Depois disso não sei o que deu em mim, mas eu simplesmente começei a fingir que não gostava mais dela, talvez para a dor de partir não ser grande, mas eu ainda tinha sentimentos por ela. Eu começei a ""gostar"" de uma outra garota da minha sala, mas aquilo não era amor, eu simplesmente achava que ela tinha um corpo bonito e me interessava por isso, mas eu não tinha nenhum interesse na personalidade dela ou algo do tipo, a única coisa que eu tinha interesse era no corpo dela.
"No fim eu não namorei nenhuma delas e troquei de escola, mas fazer o que né? Vamos seguir a vida, acho que vai aparecer alguém melhor!" Foi isso que pensei quando troquei de escola.
Então as aulas começaram em 2019, eu no começo era bem antisocial mas com o tempo fiz amigos.
Eu começei a me interessar por umas garotas, mas era algo apenas sexual, eu passava a aula toda olhando para a bunda delas e tendo pensamentos inapropriados com elas.
2019 acabou e foi simplesmente um dos piores anos da minha vida.
2020 começou e eu imaginei que podia melhorar agora né? Não, só piorou. Em 2020 eu virei um punheteiro, eu bato todo dia. No começo eu batia só uma vez por mês, depois foi uma por semana, depois diariamente.
Nada mais me satisfazia, eu ficava horas olhando pornô. Até que cheguei nos hentais, eu começei a ver hentais, muitos hentais. Eu virei um shitposter e agora fico acordado até 4 horas da manhã todo dia.
Já fazem 2 anos que não sinto aquele sentimento de amar alguém, já fazem dois anos que sinto que todos em volta de mim estão evoluindo, e eu estou apenas decaindo mais e mais. Talvez isso seja só vitimismo meu, mas às vezes eu me sinto muito triste mesmo.
submitted by Ni1314 to desabafos [link] [comments]


2020.07.11 20:37 darwinson-chan O dia que minha namorada me expulsou do armario

Olá lubixco, editores, papelões (ou restos deles...), possível convidado (q n deve existir pela quarentena), turma que está a ver ou ler e pspsps gatas (já que não olham mais pro luba, dêem atenção pra mim).
A história não é bem engraçada, mas talvez possa ajudar alguém ou até fazer algumas risadas... Espero que gostem!
"O dia que minha namorada me expulsou do armario sem querer"
Então para esclarecer, eu me descobri bissexual no 9 ano e comecei a namorar uma garota no médio. Nunca fui de pegar ninguém então acabou que ela foi minha primeira namorada e a unica pessoa que eu tinha beijado.
Eu e essa menina, que na época se chamava Isabele e é assim que a chamaremos aqui, tínhamos um relacionamento legal, assistiamos anime e, as vezes, íamos no shopping com algumas amigas (o que era mais uma desculpa que qualquer outra coisa, mas tudo bem). Mesmo assim ela ainda fazia algumas piadas sobre minha sexualidade, meio bifóbicas, tipo "bem que você podia ser 100% sapatao" ou "não precisa fingir ser meio hétero", enfim...
Quando tínhamos uns 2 meses de namoro, saimos em um rolê com umas amigas pro cinema. Estávamos sentadas na frente do Starbucks (ela com alguma bebida de lá e eu com a casquinha do Mc pq eu sou pão duro) enquanto as outras "compravam o ingresso" (provavelmente n queriam segurar vela ou estavam atras de algum boy).
Entao Isabele disse que tinha que conversar comigo. Ela tava meio estranha nas últimas semanas e eu já tremi na base, achando que tinha feito algo errado, que ela ia terminar comigo ou algo assim. Isso começou a me deixar meio nervosa (e eu tava meio instavel pela TPM).
Entao a Isabele falou algo tipo: "Eu nunca me senti bem comigo mesma sabe... nao me identifico muito com o meu genero..." então ela falou que estava questionando o próprio gênero (há algumas semanas ela confirmou isso). Eu falei que tudo bem, que ia gostar de qualquer jeito, que amaria elu independente do genero. Isabele disse que estava pensando também em mudar o nome e eu apoiei e taus (mas continuarei chamando elu por Isabele por pedido próprio para não expor).
Elu veio por trás para me dar um abraço, o que eu achei estranho pq como eu ainda não tinha "saido do armário" pra mt gente nao costumavamos ter essas demonstrações publicas e muitas pessoas achavam que éramos amigas. Dada a situação não me importei, NÃO É COMO SE ALGUÉM FOSSE ME RECONHECER. Então elu disse no meu ouvido...
Eu respondi que eu era bi, mas podia amar elu mesmo assim. Além disso, na minha cabeça, se eu fosse lésbica não poderia gostar delu, já que se identificaria com outro genero.
(Algumas pessoas consideram que bissexuais podem gostar apenas de dois gêneros e eu nao tinha certeza na epoca. Hoje já tenho mais certeza pois vi um vídeo de uma tiktoker que me representou( https://vm.tiktok.com/T6aeL). isso meio que me pressionava e me dava umas crises de identidade fodas. Mas tudo bem. )
Depois de uma breve discussão, que eu não lembro o q tínhamos falado, Isabele perguntou de novo, meio pra baixo meio irritade e falou que eu não podia ser bi se eu ainda gostasse delu. Eu, como a pessoa calma que sou, acabei gritando "não posso o car...valho!" E concluí "Pensei que te amar fosse o suficiente" e atraí um pouco de atenção, havia alguns grupos adolescentes próximos olhando (guarde essa informação, ela é bem importante).
Acho que elu ficou magoade com aquilo e eu me senti muito mal, mas qual o problema em eu ser bi? Além disso elu sempre soube que eu tenho muitos problemas quanto a isso e mesmo assim ao inves de ajudar com minhas crises fazia piada. Mesmo que não soubesse a real intenção, se Isabele estaria fazendo as piadas pra me acalmar ou talvez me fazer admitir ser lésbica. Enfim não sei
Anyway, eu não devia ter gritado, elu ficou brave e explodiu tb, dizendo que eu tinha preconceito com pansexuais por não me admitir ser. E do nada o assunto mudou "Aliás por que você não sai da porr* do armário, em cara***?! Não tem orgulho de sermos um casal? ".
Isabele queria muito que eu falasse pros meus pais, já tinha dito que se sentia mal em esconder isso. Os pais delu são de boa então ela contou pra elus e pediu pra manter segredo, mas eu não contei nem pra todos meus amigos. Elu queria muito se apresentar como meu namorade, mas eu sempre disse pra elu esperar e elu ficava chateadu.
Bem, até agora, Quem é o babaca? (Deixa nos coment com um * pra eu saber que está se referindo a esse momento)
Continuando: eu, que já sou chorona, naquele dia estava bem pior. Como eu sempre faço, sai correndo pro banheiro, bem clichê mas é.
Uns minutos depois a minha amiga, que vamos chamar de Ana, foi atrás de mim, me ligou. Eu tava trancada numa das cabines do banheiro, só atendi e falei que tava no banheiro e ela me achou por causa do tênis que eu tava usando, que tinha uma faixa de arco íris na sola (alias como ela viu o meu tênis sendo que eu tava na última cabine, nao sei. só espero que não seja do jeito que eu imagino).
Ela me acalmou e taus, naquele momento o que eu mais sentia não era ódio delu e sim de mim mesma, eu não tinha o porque de ter gritado, descontei nela os problemas das minhas próprias crises.
Enfim, o resto do role meio q miou né? Eu fui pra casa da Ana pq se meus pais me vissem com aquela cara iam perguntar. Eu tava digitando um textinho de desculpas quando ela me parou e mandou eu olhar o twitter no perfil de Isabele. Eu olhei e já notei de cara uma indireta: "Acho que fingir 'ser alguem que você nao é' é péssimo. Mas pior é mentir para os outros e continuar mentindo." Quem manda indireta no twitter? eu não uso muito, então não sei se é normal mas subiu o ódio de novo.
O dia não podia piorar né? Mas o problema é que a situação nao acabou aí.
Lembra que eu disse que tinham muitos adolescente lá? Então, acontece que esse shopping é perto do colégio onde eu estudo então geral vai la e entre eles estava uma aluna do colégio, vamos chama-la de Carls.
A Carls era da minha série e, como adolescente nao sabe cuidar da própria vida, não só contou pra umas amigas, como também filmou uma parte e postou no snap. Hoje me abomino por ter pintado metade do meu cabelo de vermelho pq provavelmente ela me reconheceu por isso. Sabe aquela garota que gosta de espalhar fofoca por aí e age como se não tivesse feito nada de errado? bem era a Calrs.
E como adolescente também adora uma fofoca ou jogar lenha na fogueira, de repente virou um rumor. Alguém tirou print e o negócio meio que espalhou. Lembro que naquele dia chegaram a colocar no stories do insta do colégio (o insta que é meio que um blog dos alunos do médio) uma enquete se nos shippavam ou não.
O twitter de Isabele era privado, o que talvez diminuiu o alcance, mas não o suficiente pra elu perceber o que estava acontecendo. O post foi suficiente pra confirmar que eramos nós brigando e tiraram print do post dela, então adiantou nada a conta ser privada. As pessoas das nossas séries perguntavam pra mim se era verdade, tratavam como se fosse um plot de uma série americana.
Enfim talvez esteja parecendo maior do que realmente foi mas, para dar uma ideia mais realista, boa parte do segundo do médio comentou sobre isso em algum momento (pq, por Isabele ser "diferente" e abertamente, as pessoas conheciam elu, a maioria inclusive apoiava) e alguns grupinhos de colegas que pelo menos me conheciam falaram comigo. Essa situação, por conta de alguns comentários no twitter (não muito gentis), chegou na coordenação, a orientadora foi legal, chamou a gente no fim da aula e disse que se houvesse qualquer preconceito podia falar com ela e taus. Isso tudo em uns 3 dias. A gente conversou com calma, eu ainda amava elu, mas não tinha muita certeza se deviamos voltar.
A situação chegou nos meus pais. Eu tive que explicar tudo pra eles. Não foi tão ruim, mas eu queria ter uma outra oportunidade ou sla. Fiquei de castigo por causa dos roles e por não contar, sem celular por uma semana.
Eu e elu tinhamos evitado nos falar na escola pra diminuir os boatos. Depois disso ainda não tínhamos nos perdoado totalmente, apenas evitamos. Eu fiquei com outras garotas e entao começou a quarentena (fazia pouco menos de meio ano desde todo esse role) e com isso as paranoias: Eu nunca cheguei a ficar com nenhum garoto, muito menos a namorar. Nao sei se sou pan, bi ou lésbica, até pq eu me meti numa situação em que meu companheiro se descobriu agenero no meio do relacionamento. Talvez eu seja lésbica e causei esse furdúncio pra nada?? Acho que essa situação colocou ainda mais pressão infelizmente e, sei lá, as coisas são confusas as vezes.
Semana passada Isabele me chamou no whats, conversamos e nos perdoamos devidamente e ainda sinto um sentimento por elu. Ai meu Deeeeus eu vou morrer sozinhaaa.
Enfim, espero que tenham gostado (foi mal pelo textao). Todos os que estão passando por essas crises de sexualidade, genero ou whatever, durante a quarentena, fiquem fortes, posso não ser a melhor pra dar apoio, mas tudo vai ficar bem. Desculpa pela historia longa
Beijos, =30
submitted by darwinson-chan to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.08 06:38 minzinhaaaa Traída e traumatizada

Olá Lubixxco, editores, gatas, papeloes mortos e turma que está a ver :) Meu nome é Yasmin e vim contar sobre meu chifre Ano passado eu namorei um menino que era (ainda é) odiado por todo mundo na escola, então esse relacionamento não era aceito por nenhum dos meus amigos, isso não era problema pra mim (idiota como sou), segui meu namoro com ele tranquilamente, um detalhe é que, meus pais não sabiam, e corriamos o risco de chamarem nossos pais na escola (já que não aceitam namoro lá de jeito nenhum), eu tinha uma amiga que eu considerava muito, vou chamar de Lars, e esse meu ex já havia gostado dela por mt tempo (mesmo que ela estivesse namorando a 3 anos com outro amigo meu), foi indo até que Lars termina com seu namorado e o que que o maldito fez? Terminou comigo e foi correr atrás dela, eu sofri muito com isso, mas dps ele falou que se arrependeu e adivinha só? Nós voltamos (cara, eu tava super carente, não sei o que deu em mim pra ser tão burra). Quando completamos um mês nossos pais foram chamados na escola, quase apanhei, nunca tinha sido chamada na diretoria nem nada do tipo, dai nós conversamos e terminamos, só que como todos sabiam desse namoro, começaram a me zoar e ele dizia que tudo isso era culpa minha, surtei e fui fazer barraco com ele, um tempo depois eu descobri que enquanto eu estava sofrendo, uma "amiga" minha que tinha me ajudado e tudo mais, ficou com ele pelas minhas costas e que, enquanto a gente namorava, ele me traiu com essa mesma garota e com a ex dele, criei trauma com tudo isso e só consegui superar com ajuda do meu namorado e melhor amiga :)
Um beijo Luba, Matheus, Luiz, Tuxo, Turma, amo vocês, todo esse carinho me ajuda muito todos os dias
submitted by minzinhaaaa to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.08 06:23 Naaanka "Eu tenho mais razão que você!"

Olá Luba, turma, editores e gatas. Voltei aqui pra contar a atualização de uns dos posts que fiz aqui. Contextualizando rapidinho: eu namorei um amigo por dois meses e nós terminamos por conta da falta de atenção dele. A amiga dele queria que eu voltasse com ele apenas pra fazer ele bem, não voltei por motivos de eu sei o que é melhor pra mim. Certo, o que aconteceu nesse período de 24 horas foi que essa menina começou a postar indiretas pra mim no whatsapp dizendo que não se conformava ou que não entendia porque terminei e continuo conversando. Vendo isso, foi falar com ela e explicar toda a situação entre mim e meu ex ( que apesar de tudo, acabou tudo bem ), só que ela não aceita que terminei com ele e ficou fazendo de tudo pra voltarmos. Expliquei que não podia ser assim, que eu não posso voltar pra um relacionamento apenas pensando nele, eu preciso pensar em mim, disse também que ela não tinha o direito de dizer o que nos dois tínhamos que fazer, que ela não me conhece pra falar tanta coisa errada sem saber de nada. Então a belíssima disse que sim, eu deveria voltar pensando no ex, que um relacionamento se ajeita desse jeito e que as coisas podem voltar a ser como era antes, mas que eu precisava deixar se ser egoísta. Entre vários xingamentos que ela me soltou, ela também disso que o que estou fazendo é "esperar e iludir ele porque eu ainda quero ele" e que não estou certa disso. Após toda essa cena ridícula da usurpadora, eu dei block e exclui o número, mas a bendita tinha postado no status do whatsapp coisas como "Monique interesseira, escrota" e continuou dizendo ao meu ex pra me esquecer de vez, sendo que ele tomou a decisão de continuar falando comigo de boa. É isso gente, perdão por ter sido meio grande. Beijos Lubinha e Luna
submitted by Naaanka to TurmaFeira [link] [comments]


to namorando meu melhor amigo! - YouTube ESTOU NAMORANDO O MEU MELHOR AMIGO!! - YouTube FIQUEI COM A NAMORADA DO MEU MELHOR AMIGO!! ( A VINGANÇA ) ME APAIXONEI PELO MEU MELHOR AMIGO GAY - YouTube O meu melhor amigo é o meu amor - YouTube O DIA QUE EU NAMOREI ESCONDIDO E MEUS PAIS DESCOBRIRAM ... PERDI MEU MELHOR AMIGO! (desabafo) Luccas Neto - Meu Melhor Amigo (Musica Oficial) - Luccas ... Namorei meu amigo - conto de amor MEU MELHOR AMIGO - 3Palavrinhas - VOLUME 3 - YouTube

Meu melhor amigo tem namorada, mas não consigo deixar de ...

  1. to namorando meu melhor amigo! - YouTube
  2. ESTOU NAMORANDO O MEU MELHOR AMIGO!! - YouTube
  3. FIQUEI COM A NAMORADA DO MEU MELHOR AMIGO!! ( A VINGANÇA )
  4. ME APAIXONEI PELO MEU MELHOR AMIGO GAY - YouTube
  5. O meu melhor amigo é o meu amor - YouTube
  6. O DIA QUE EU NAMOREI ESCONDIDO E MEUS PAIS DESCOBRIRAM ...
  7. PERDI MEU MELHOR AMIGO! (desabafo)
  8. Luccas Neto - Meu Melhor Amigo (Musica Oficial) - Luccas ...
  9. Namorei meu amigo - conto de amor
  10. MEU MELHOR AMIGO - 3Palavrinhas - VOLUME 3 - YouTube

Hi Guys... Nesse vídeo eu trolei uma das minhas melhores amigas falando que estava namorando com o meu melhor amigo, ela ficou só um pouquinho brava Tik Tok:... Música nova para comemorar os 9 milhões de inscritos !! Meu Melhor Amigo é para homenagear todos vocês meus 9 milhões de amigos, toda a minha família, meus p... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Suruba Com o Melhor Amigo - Duration: 18:03. Ana ... MEU MARIDO QUER QUE EU SAIA COM OUTROS CARAS - Duration: ... Namorei um fazendeiro ... Meu Melhor Amigo (Samuel Mizrahy) Meu melhor amigo é Jesus Cristo pode crer! A sua sua Palavra eu vou sempre obedecer! Pois eu sei que Ele tem sempre o melho... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Ex Melhor Amigo - (citação) Juuh ... Quando eu encontrar minha melhor amiga virtual 💥 - Duration: 2:10. Anne Reis 1,563,460 views. ... Fui pedir Meu Melhor amigo em namoro e olha no que deu ... fala rapaziada, esse foi o video espero que tenham gostado! nao esqueca de deixar seu like, se inscrever no canal e ativar o sininho redes: instagram: @nica.... Eai, gostaram amigos? Me segue no Instagram pra virarmos amigos! https://instagram.com/thayrodrigues?r=nametag E não se esqueçam de se inscrever aqui no cana... BAIXE ONE FOOTBALL: https://tinyurl.com/VossoCanal6 BAIXE ONE FOOTBALL: https://tinyurl.com/VossoCanal6 🔴 CANAL NOVO 🔴: https://www.youtube.com/channel/UC_sp...